; charset=UTF-8" /> » r(e)voluciclo

Archive for the ‘r(e)voluciclo’ Category.

Vencendo a Cidade

Na última sexta, 03 de junho, rolou a primeira alleycat de Porto Alegre. Alleycats são corridas informais em meio ao trânsito da cidade, passando por alguns pontos pré-definidos. O trajeto a ser percorrido para passar por estes pontos fica a critério dx participante. É uma corrida de pique, navegação nas ruas e ousadia. A ênfase não está na vitória, mas em retomarmos o espaço público para diversão.

Para que essa corrida acontecesse, bastou vontade e envolvimento de todxs: organizadorxs, xs amigxs que cuidaram dos checkpoints, xs que fizeram fotos e vídeos, e xs nossxs destemidxs competidorxs. O vento frio da noite não foi impedimento para que a corrida fosse um sucesso: 26 pessoas correram e outras 16 garatiram que tudo desse certo.

Vale lembrar que esta alleycat foi realizada de forma independente, no espírito de faça-você-mesmx!Confira a colocação dxs corredorxs:

#1. Guilherme ‘Palito’ Schubert – 20:38
#2. Suryan Cury – 20:43
#3. Camilo Pacheco – 22:07
#4. Diego de Lima – 22:40
#5. André Mancuso – 23:35
#6. Eduardo Iglesias – 24:48
#7. Aline Rodrigues – 26:28
#8. Cadu Carvalho – 26:47
#9. Ricardo Ambus – 27:05
#10. Greg Kuhn – 27:15
#11. Daniel Machado – 31:02
#12. Antônio Sandri – 31:30
#13. Ricardo Weiler – 31:42
#14. Aislan Diego Polla – 32:06
#15. Lívia Biasotto – 32:20
#16. Patrícia Kapla – 33:00
-ghost racer- 34:00
#17. Marly Maravalhas – 36:45
#18. Franco Scandolo – 40:07
#19. Marcos Rodrigues (dois pneus furados) – 46:13
#20. Raoni Ceccim – 50:01
DESCLASSIFICADXS
Marcus Vinicius Simioni (foi pra casa)
Igor Symanski (foi pra balada)
Aline Brandão (perdeu um checkpoint)
Mário Terrazas (perdeu o manifesto)
Douglas Coelho (perdeu o manifesto e achou depois)

página inicial

Primeira Alleycat de PoA!

Fim de semana do pedal!

Hoje é dia de Massa Crítica!

….fazendo um mês do atropelamento…seguimos celebrando, reivindicando nosso espaço através da ação direta.

ocupando as ruas!

18:15h no largo Zumbi dos Palmares

Amanhã tem encontro entre Cíclicas e Pedalinas(SP)! Ambas as iniciativas são para incentivar as mulheres ao uso da bike! Algumas das Pedalinas estão na cidade para dar seu apoio a massa de hoje, aproveitamos a oportunidade para trocarmos experiências e pedalarmos juntas!

15h no chafariz da Redenção

página inicial

Bicicletada Continental – América do Sul por ruas para as pessoas

cada ciclista, cada rua, cada cidade, cada país… da América do Sul

devido ao atropelamento em massa na Massa Crítica acontecido na sexta feira passada, dia 25 de fevereiro está sendo convocada a bicicletada solidária continental, a acontecer em cada uma das cidades da américa do sul.

“Em algum momento do dia na sexta-feira 4 de março de 2011, montemos em nossa bicicleta, sós ou acompanhadxs, pensando e repensando nas imagens que vimos dessas bicicletas e seres humanos, ciclistas, colegas… voando pelos ares!

Imaginemos ser cada uma e cada um deles e dediquemos um desejo, uma palavra, um gesto ou uma ação com o objetivo de que rapidamente, o quanto antes, voltem a ser ciclistas, em uma rua, em uma cidade, em um país… da nossa América do Sul.”

aqui em porto alegre nos encontraremos no mesmo horário e local da Massa Crítica: Largo Zumbi dos Palmares, 18h15, para começar a pedalar pelas 19h.

Pedale todos os dias celebre uma vez por mês!

página inicial

Massa Crítica sofre atropelamento

cena do crime - jose do patrocinio x luis afonsoOntem em mais uma bicicletada presenciamos  uma situação absurda e que exige mudança comportamental e cultural da população com relação axs ciclistas, ao trânsito e da reflexão do que vem a ser uma cidade. a cidade não é dos carros! é das pessoas!

Ontem aconteceu como sempre acontece na ultima sexta-feira do mês a Massa Crítica, que é uma manifestação que acontece no mundo todo que consiste dxs ciclistas buscarem espaço no transito, fazerem entender que SÃO PARTE do transito. A bicicleta é uma alternativa auto sustentável, ecológica e barata de transporte, além de ser usada e mais comumente associada a passeio e lazer.

Mas o que aconteceu ontem foi fora de qualquer expectativa que pudéssemos ter. Um motorista/assassino atropelou o nosso grupo de ciclistas. Foi assustador o que aconteceu, e eu no momento não entendia o que se passava, pois se ouviam gritos e barulho de pessoas caindo no chão, barulho de corpos no capô, para brisa, no asfalto, em fim. Se via pernas no ar, capacetes, bicicletas, braços, tudo misturado juntamente com partes do carro (para choque talvez, espelhinhos…). Tudo voando e fazendo barulho. Um filme de terror.

Só que já podemos perceber uma distorção dos acontecimentos e é isso que me preocupa. Por exemplo, uma das coisas que a policia e a EPTC começam a dizer é que tínhamos que ter avisado a EPTC do evento. E que a falta deste aviso torna a MC irregular. Primeiro não é um evento que tem que ser avisado. É justamente uma manifestação que tem como objetivo buscar a conscientização dxs motoristas sem que estxs precisem de aparato repressor para compreenderem que temos o direito de estarmos ali. Se uma pessoa que dirige um automóvel não respeita uma ou mais pessoas que estão de bicicleta e precisa de policia ou fiscalização para respeitar, isso caracteriza que ela precisa ser supervisionada, repreendida para agir com educação e respeito. A nossa idéia é a de que motoristas e ciclistas compartilhem o transito. Existe escolta da EPTC para carros? Não. E para quando a gente está pedalando no nosso diário também não vamos pedir escolta, o que queremos é espaço e respeito a isso.

Este cara que nos atropelou passou do limite do que uma pessoa pode fazer numa situação de stress. Ele passou por cima. Ponto. E continuou acelerando mesmo ao ver pessoas no seu capô, e caídas no chão. Ele arrastou uma mulher pelo capô por vários metros e fugiu com a bicicleta dela (acredito eu) presa no carro dele!

Eu acho também, percebo, que essas declarações da EPTC de que não foram avisados, e caracterizando a MC como “irregular”são já imaginando uma possível ação movida contra a prefeitura. E que usam isso já como argumento de defesa. Só que isto ofusca a questão principal, a atitude do motorista, que não pode em hipótese alguma ser justificada.

É muito grave o que aconteceu.

Queria só também informar que bloqueamos sim a via. Porque éramos muitxs. Mas isso sempre acontece e não dura muito mais que 2 minutos de espera para um carro que aguarda, que na próxima quadra vai se ver livre de nós, pois estamos também em movimento, pedalando. X motorista só precisa ter um pouco de tolerância e esperar que o fluxo logo continuará. Acreditar que estamos atrapalhando o trânsito é um erro. Tudo atrapalha o transito. Um ônibus que pifou, um cachorro que atravessou, uma chuva que alaga a rua um carro estragado no meio da avenida. A própria quantidade de carros! E o que alguém quando dirige faz? Desvia, espera, pode até dizer “que saco!” Mas a gente não passa por cima de pessoas. E isso é muito importante também de ser aprofundado. Se fosse um ônibus parado na frente deste carro, deste motorista, ele teria se jogado contra este ônibus?

Então a gente vê que ele calculou que não teria dano nenhum a ele, e que os danos ficariam “apenas” naquelas pessoas TODAS que estavam ali. Com nossos corpos como para choques e nossas mentes e espíritos totalmente agora traumatizados. Para sempre.

Eu vi muitos rostos conhecidos, amigxs caídos, sangrando, sendo levadxs pela ambulância…ouvi relatos, pessoas chorando, uma de nós dizia que sua mãe estava ali pela primeira vez e que foi uma das atropeladas…que estava no hospital. Muito triste.

E por fim, li nos jornais uma especulação de que nós, xs ciclistas tínhamos ido pra cima do carro e causado o acidente. Isso é a mais absurda mentira. E a mais absurda incoerência física. Não foi um acidente. Foi uma tentativa de homicídio. Como um franco atirador que usa sua arma, Ricardo José Neis utilizou o seu carro como uma arma atirando-o contra as pessoas. E por isso a pessoa que está dirigindo um carro tem que ter consciência do potencial da máquina. O potencial de Ricardo José de ferir as pessoas se ele tivesse a pé, ou com seu corpo seria totalmente outro.

página inicial

Pedalada de Mulheres! é hoje!!!

Neste domingo acontece a primeira bicicletada só de mulheres aqui em porto Alegre!

A Massa Crítica de POA, ou bicicletada, vem ocorrendo toda última sexta feira do mês.

À partir da M.C., surgiu a idéia entre as mulheres de se fazer uma pedalada só de mulheres. São varias as razões: pra dar espaço para novatas, para encorajar mais mulheres de todas as idades a pedalar, gerar independência, para as que querem apenas celebrar o pedal, etc…

Assim esta pedalada tem o cunho de ser um encontro também pra trocas de idéias e solidariedade de umas com as outras. Sabemos das dificuldades que muitas enfrentam, principalmente quando estamos pedalando sozinhas,sejam cantadas indesejáveis, o trânsito agressivo, ou até mesmo dúvidas na manutenção das bicis.

Esta iniciativa existe em vários lugares do mundo, aqui no Brasil sabemos que rola pedal só de mulheres em São Paulo e em Belo Horizonte.

A primeira pedalada de mulheres de Porto Alegre é hoje, domingo dia 20 de fevereiro, e será no chafariz do Parque da Redenção, às 17h, para um bate-papo e às 18h, é a “largada” do pedal, em trajeto a ser definido na hora.

Convido-as aqui para ajudarem a construir esta idéia! Neste primeiro encontro estaremos escolhendo o nome do grupo!

———————————————–Atualização 21/02/11

o encontro e a pedalada foram muito bacanas e deixa aquele gostinho de quero mais! bom que logo vem a próxima! a princípio ficou definido para o primeiro domingo de cada mês! o nome foi escolhido! somos Cíclicas!!!
***fotos da 1ª Bicicletada só de mulheres!***

página inicial